Balanceamento Muscular

O QUE É ESTAR BALANCEADO?

Quando uma pessoa diz que está “balanceada”, o que ela quer dizer na realidade?

Para entendermos isso, é necessário antes responder a uma outra pergunta: O QUE ENTENDEMOS POR SAÚDE?

Essa pergunta nos leva ao que poderia ser um labirinto sem saída, mas é de resposta fácil se conhecermos os conceitos básicos de BM, que explicamos a seguir.

No desenvolvimento da nossa técnica (histórico da técnica), um fato foi percebido rapidamente: uma pessoa era balanceada de uma dor específica (no ombro, no joelho, etc.) e outros aspectos do corpo/mente também alteravam, mais precisamente aspectos emocionais e aspectos químicos.

Inicialmente, não se tinha uma idéia mais precisa da razão pela qual isso ocorria, mas, logo, chegou-se à conclusão que havia uma interligação entre três fatores específicos do sistema corpo/mente, que são: fatores estruturais, fatores emocionais e fatores químicos, o que pode ser representado num triângulo eqüilátero uma vez que esses fatores têm peso igual quando se fala em manter o sistema corpo/mente equilibrado.

Assim, em BM, consideramos que saúde é o equilíbrio adequado entre esses três fatores. Na realidade, se observarmos com clareza o funcionamento do nosso sistema corpo/mente, veremos que dependemos deles de maneira contínua, desde o momento da concepção até o final de nossas vidas.

Portanto, o equilíbrio desses fatores vai definir nossa capacidade de resistir aos estressores estruturais, emocionais e químicos a que estamos sendo submetidos. No entanto, é preciso compreender de forma clara que esse é um equilíbrio caótico, pois depende de uma interação constante entre os fatores e de uma interação deles com o meio ambiente que nos cerca.

Para compreender melhor essa interação, usamos um exemplo de fácil compreensão, que mostra claramente como ela ocorre.

Fatores Estruturais

Para respirarmos, nosso sistema corpo/mente precisa conseguir que nossos pulmões encham de ar. Isso demanda uma série de ações mecânicas do nosso corpo, entre as quais podemos citar, por exemplo: o movimento vertical para baixo do diafragma, criando espaço para o pulmão aumentar de volume, o que move a coluna através da ação da parte posterior do diafragma sobre as vértebras. Esse movimento, por seu lado, faz com que a coluna sofra uma retificação momentânea da sua lordose, o que vai pressionar a junção esfeno-basilar, e, como conseqüência, mover os ossos do crânio de forma sincronizada, e etc, etc, etc.

Quanto aos fatores emocionais, estes também são acelerados pela respiração, pois nossa mente necessita trabalhar com maior rapidez uma vez que estamos movendo o sistema estrutural mais rapidamente. Simultaneamente, os fatores químicos são acelerados, pois, para raciocinarmos mais rapidamente, precisamos, entre outros, de mais neurotransmissores, de mais hormônios e de eliminar rapidamente as toxinas criadas pelos processos químicos naturais do sistema corpo/mente. Como se vê, uma mudança num fator estrutural automaticamente altera os outros dois fatores.

Fatores Emocionais

Por outro lado, se, por exemplo, estamos mais, ou menos, ansiosos, isso vai afetar a velocidade com que nosso diafragma se move, criando uma interação direta entre os fatores emocionais e os fatores estruturais. Portanto, quanto mais ansiosos, com maior velocidade nosso diafragma vai mover e mais necessidade de produtos químicos teremos no sistema para que ele funcione adequadamente, o que vai afetar os fatores químicos. No limite, teremos a impossibilidade da estrutura corporal mover com a velocidade que nossa ansiedade está demandando o que levará a uma “falência” do sistema corpo/mente e ao aparecimento de fatores extremos físicos – tais como taquicardias, pressão no peito, dores inexplicáveis no tronco, emocionais –, depressão, insônia, angústia, etc., e químicos – alergias, rinites, diarréias, suores profusos, etc. Ao conjunto desses fatores, muitos chamam de síndrome do pânico, uma vez que, conscientemente, não conseguimos identificar a razão do aparecimento de todos esses sintomas. Para o sistema entrar nesse processo, é necessário que a quantidade de toxinas do sistema ultrapasse a capacidade dele em reclicá-las. Da mesma forma, se estamos ansiosos, e fazemos alguma atividade física, isso diminui nossa ansiedade, pois ajuda na eliminação das toxinas químicas existentes no sistema corpo/mente. Como se vê, há uma interação direta entre os fatores emocionais, os fatores físicos e os fatores químicos.

Fatores Químicos

Se nós respiramos mais, ou menos, rapidamente haverá uma troca de oxigênio mais, ou menos, intensa em nossos pulmões. Por outro lado, se estamos num ambiente em que há muitos produtos químicos agressivos, isso vai debilitar nossa respiração, afetando os fatores emocionais e, como conseqüência, vai criar emoções negativas em nosso sistema corpo/mente. Uma das principais emoções é a ansiedade, uma vez que não conseguimos respirar corretamente porque o sistema corpo/mente está sendo intoxicado pelos xenobióticos (fatores químicos agressivos advindos do meio ambiente). Além disso, quando estressamos, nosso sistema corpo/mente inicia uma série de processos químicos automáticos de sobrevivência, o que vai afetar nossos fatores estruturais e, como já vimos, os fatores emocionais. Dentre esses fatores destacamos a produção de adrenalina que acelera o batimento cardíaco, aumentando o movimento dos pulmões, e a produção de colesterol e cortisol em grandes quantidades o que altera o funcionamento do sistema químico e, como conseqüência do sistema emocional. Outros fatores químicos importantes são os alimentos que ingerimos e produzem alergias internas (na mucosa gastro-intestinal) o que, como resultado, produz um excesso de aldeídos na corrente sangüínea e desbalanceia o sistema. Da mesma forma, se uma alimentação é pobre em minerais, dentre eles o zinco, o magnésio e o molibdênio, nosso sistema perde a capacidade de se desintoxicar.

Como pudemos ver, para o BM, a resposta à pergunta inicialmente feita é clara: “Saúde é o equilíbrio dos fatores estruturais, dos fatores emocionais e dos fatores químicos entre si e o equilíbrio deles no meio ambiente em que nos encontramos”.

Por conseguinte, estar balanceado é ter a capacidade de manter nosso sistema corpo/mente em equilíbrio através de procedimentos simples, e naturais, que compõem o conjunto de técnicas que denominamos BM.

Fonte: http://www.balmusc.org.br/oqueebm.asp

Voltar para home