Cadeias Musculares

O método das cadeias osteoarticulares e músculo-aponevróticas e as técnicas GDS foram concebidos e elaborados pela biomecanicista, fisioterapeuta e osteopata Godelieve Denys Struyf nos anos 1960–70.

Foi como retratista que ela se aprimorou na Escola de Belas Artes de Bruxelas e aprendeu a “VER”. Fazendo uso da experiência de estudar e pintar a figura humana por 15 anos, da análise morfológica e psicológica das formas, da antropometria, a autora teve a idéia de aplicar esse método de observação à fisioterapia no contexto das deformações e algias do sistema locomotor. Seu objetivo foi realizar uma abordagem mais individualizada da mecânica humana.

Para a pesquisadora, o corpo oferece meios de comunicação e caminhos terapêuticos excepcionais, em especial quando a palavra está ausente, é inadequada, desadaptada ou viciada. Importante é estar em condições de ver, compreender e responder às mensagens gestuais e posturais. Elas são PALAVRAS que, se ouvidas e compreendidas, contribuem para aliviar o desconforto humano.

Os procedimentos pressupõem três abordagens:
1 – A leitura da postura, do gesto e das formas do corpo proporciona elementos para melhor compreender o bebê, a criança e o adulto, ou seja, fornece elementos para o diálogo. Delimita o terreno psicofisiológico.

2 – A conscientização, a ginástica e a utilização psicocorporal (o modo de utilizar o corpo) determinam os MODOS DE EMPREGO para uma gestão mais adequada do sistema locomotor, para uma ginástica personalizada e para a utilização harmoniosa do corpo visando preservar sua mecânica.

3 – Os cuidados terapêuticos, a modelagem, o ajustamento osteoarticular e a regularização das tensões musculares permitem ESCULPIR O SER VIVO. O corpo é modelado, ajustado com a ajuda de apoios, de manobras que associam contrações isométricas, alongamentos, posturas e modelagem associada a massagens. Essas massagens podem ser profundas ou mecânicas, ligeiras ou energéticas, principalmente reflexas.

Struyf afirma que o corpo funciona por meio de grandes circuitos musculares, traduzidos por cadeias, e cada circuito é um caminho de tensão.

Na leitura "tipológica" dos corpos humanos, percebem-se as tendências e as heranças de cada etnia, diferenças relacionadas às determinações genéticas e ao meio ambiente, assim como atitudes psicocomportamentais, de educação, de trabalho, influências socioculturais, traumas de percurso, etc. Todos esses fatores interferem na construção e no funcionamento do nosso corpo.

O método de cadeias musculares da postura procura individualizar a escolha das técnicas de tratamento apropriadas à especificidade de cada paciente. E por realizar uma abordagem global, considera, acima de tudo, a relação entre a postura corporal, os pensamentos e as emoções, proporcionando inúmeros benefícios para o corpo e eliminando a origem do problema. Por exemplo, as dores de cabeça e/ou enxaquecas causadas por tensão nos ombros: a pessoa tensiona os ombros exageradamente e depois não relaxa, portanto não coloca a articulação no seu devido lugar. Isso gera uma tensão dolorosa que vai desencadear (causar) as dores de cabeça.

Em resumo, para o Método GDS:
• O corpo exprime uma linguagem que nos guia para um procedimento profilático e terapêutico adaptado.

• A fisioterapia dos problemas estáticos, osteoarticulares e das dores reumáticas recebem uma abordagem psicossomática.

• As cinco estruturas psicocorporais, uma das quais é dupla, representam seis estruturas interdependentes, interatuantes e FUNCIONAM JUNTAS, a saber: direita, esquerda, frente, atrás, embaixo, em cima.

Principais indicações:
Dores na coluna vertebral e má postura.

O tratamento é indicado para pré-adolescentes, adolescentes, adultos e idosos.

A seguir, veja a classificação sumária das seis formas de equilíbrio natural em pé, de seis bases de expressão corporal, de comportamento e de utilização corporal que acionam seis conjuntos musculares (cadeias) em relação às seis direções no espaço.


Obs.: Todas as tipologias podem, didaticamente, resultar de uma escolha ou de uma situação imposta e suportada. Sendo uma escolha, o sujeito sente-se bem no próprio corpo, tem flexibilidade, porém se for por uma situação suportada, podem correr os desgastes por rigidez ou dores.

Voltar para home